Contato Comercial+ 55 41 2169-6868
Blog

7 dicas para o correto armazenamento de alimentos perecíveis

04 de maio de 2021

7 dicas para o correto armazenamento de alimentos perecíveis

Quando se trata de armazenamento de alimentos perecíveis, as empresas do setor logístico se deparam com um grande desafio: Qual a melhor maneira de armazená-los, sem ter grandes perdas por conta da perecibilidade dos alimentos?

Quem trabalha na indústria alimentícia deve estar atento constantemente ao controle de estoque para alimentos perecíveis para evitar contratempos desnecessários. Isso acontece, principalmente, devido à quantidade de pessoas que mexem nos alimentos, a localização deles e o seu uso.

Dessa forma, grandes empresas também podem (e devem) estar atentas para a melhoria contínua de suas rotinas, com o foco em reduzir perdas e garantir mais lucratividade.

Devido a isso, é de suma importância manter-se atento às boas práticas e exigências desse ramo de atuação. Confira neste artigo algumas dicas para o correto armazenamento de alimentos perecíveis!

1. Conheça as particularidades de cada alimento

Alguns tipos de alimentos possuem particularidades que têm um ciclo e é muito importante estar atento a isso. São exemplos as carnes, frutas e hortaliças. Esses são alguns dos alimentos perecíveis que contam com armazenamento resfriado. Porém, os cuidados não são os mesmos para todos eles, e a principal diferença está relacionada à temperatura do armazém. 

Enquanto as carnes precisam apenas ser mantidas sob refrigeração - quanto mais próximas de 0°C a temperatura estiver, melhor para impedir o surgimento de bactérias - as frutas e hortaliças precisam de um cuidado maior, pois têm um ponto certo para consumo e não podem ser armazenadas por muito tempo, têm de ser consumidas frescas, impedindo que sejam congeladas para conservação.

2. Mantenha o armazém sempre limpo

Para evitar problemas com a fiscalização e também a degradação desses itens, alguns cuidados de limpeza são bastante importantes no dia a dia da empresa. 

É necessário garantir que um controle de limpeza seja implementado com muito rigor durante todo o processo que envolve o recebimento, a estocagem, a manipulação e a venda desses itens.

Os funcionários que trabalharem diretamente com os produtos devem estar bem treinados e utilizando equipamentos limpos e que garantam a minimização de riscos de contaminação.

3. Proteja bem os alimentos

O tipo de embalagem é o primeiro fator a ser considerado ao se transportar alimentos perecíveis. Mas é importante lembrar que o termo “embalagem” não se refere apenas à caixa que acondiciona o alimento, mas também aos contentores, paletes e contêineres que irão acomodá-lo desde a fase de armazenagem até a de transporte ao ponto de venda. 

4. Escolha um bom meio de transporte

A fase de transporte é a que deixa o alimento perecível mais vulnerável ao clima, às intempéries e, principalmente, ao incorreto manuseio. Mas mesmo não tendo o controle total da carga assim que ela sai do armazém, os gestores ainda precisam criar estratégias para preservar o alimento perecível no decorrer do transporte, por isso é preciso critério na escolha da transportadora.

5. Monitore sempre a temperatura 

Como visto, os alimentos perecíveis são bem sensíveis, principalmente com a temperatura e sua variação. Por isso é tão importante um constante monitoramento para que o armazém esteja sempre com a mesma temperatura. Uma dica é colocar cortinas de ar ou de PVC nas portas para que haja um maior controle.

6. Cuide da circulação de ar do armazém

Além da temperatura, a circulação do ar também é muito importante no armazenamento de produtos perecíveis, pois ela implica na umidade destes, oque os faz ficarem mais frescos ou com um aspecto de mais velho. Isso ajuda a garantir que a temperatura e a umidade sejam uniformes em todos os pontos.

7. Armazenagem

Os processos de armazenagem também demandam muita atenção da equipe envolvida. Isso porque é na hora do armazenamento que os alimentos são bastante manuseados, o que aumenta as chances de sua embalagem ser danificada. É por isso que tanto as instalações físicas do armazém e os equipamentos quanto os processos de recebimento e expedição devem estar adequados às restrições dos alimentos:

  • Equipamentos: 

Todos os equipamentos de carga e descarga do armazém devem ser adequados ao transporte de alimentos. Eles devem possuir sistemas antivibração e ser guiados por profissionais experientes;

  • Instalações prediais: 

Para o armazenamento de alimentos perecíveis, o ideal é que o armazém seja mantido a uma temperatura ideal para a sua preservação. Ele também deve ser higienizado constantemente, para que os riscos de contaminação sejam minimizados e devem seguir os padrões da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária);

  • Estocagem: 

Para o armazenamento de alimentos perecíveis, os gestores não devem priorizar o máximo aproveitamento do espaço do armazém. Isso porque eles devem deixar espaços entre os paletes para que a mercadoria seja ventilada e acessada adequadamente. Um ponto muito importante no armazenamento de alimentos é seguir o sistema de controle FEFO “First-Expire, First-Out” ou Primeiro que Vence é o Primeiro que Sai.

A Capital Realty possui armazéns preparados para suprir a sua necessidade. Para saber mais, entre em contato conosco.

LEIA MAIS