Contato Comercial
+ 55 41 2169-6868
Tipos de armazenagem: como escolher o melhor para sua empresa?

Tipos de armazenagem: como escolher o melhor para sua empresa?

 

Escolher o modelo mais adequado entre os tipos de armazenagem disponíveis para seu negócio oferece uma melhor gestão do processo logístico. Isso porque a forma como uma empresa estoca sua mercadoria está diretamente relacionada à qualidade final do produto. Afinal, se a estocagem for feita de maneira errada, os produtos podem sofrer alterações na estrutura física e até mesmo estragar.

Além disso, padronizar as rotinas de armazenagem contribui para uma melhor organização dos processos estratégicos e de trabalho, dinamizando as rotinas de produção.

Assim, o armazenamento ideal é um fator crucial para a eficiência logística de uma empresa. A seguir, explicamos melhor quais são os principais tipos de armazenagem e como saber qual o melhor para cada situação. 

Neste artigo, você lerá sobre:

Tipos de armazenagem

Os principais tipos de armazenagem são:

  • própria;
  • terceirizada;
  • contratada.

Cada empresa tem suas próprias necessidades e o tipo de armazenagem de estoque escolhido deve oferecer agilidade e aumentar a produtividade na execução dos processos, para que resultados satisfatórios sejam alcançados, assim como para evitar custos excessivos ou prejuízos. 

Saiba mais sobre o que é armazenagem e os três principais tipos.

1. Armazenagem própria

É considerado um dos mais adaptáveis sistemas de armazenamento do mercado, pois o local pertence à própria empresa. Na armazenagem própria, a empresa é responsável por todo o processo de gestão e operação das atividades no galpão, incluindo:

  • estocagem;
  • distribuição;
  • registros de entrada e saída;
  • contratação de colaboradores;
  • compra de equipamentos;
  • custos fixos, como água e luz.

Na armazenagem própria, a maior vantagem é que possíveis mudanças podem ser feitas de forma mais fácil e a empresa pode controlar tudo mais de perto.

Caso a empresa opte por colocar os próprios colaboradores para comandar o sistema de armazenamento, é ideal que haja um treinamento, pois a tarefa exige conhecimento especializado. 

A localização deve ser bem planejada e não necessariamente o galpão/armazém precisa estar localizado próximo à empresa, mas deve-se pensar em locais estratégicos para contribuir aos processos logísticos. Uma recomendação é escolher um local próximo a rodovias, por exemplo, para facilitar o transporte de chegada e saída de materiais.

2. Armazenagem terceirizada

O sistema de armazenagem terceirizada é a opção mais econômica entre os sistemas de armazenagem, por apresentar uma queda significativa nos custos operacionais. 

Nesse modelo, a gestão e operação das atividades são transferidas para uma empresa terceirizada, que fica responsável por realizar o trabalho de estocagem e distribuição dos produtos. É uma das opções mais atrativas e adotadas por empresas dos mais diferentes ramos por apresentar boas vantagens.

Um dos principais benefícios, além da economia, é que o parceiro terceirizado oferece mão de obra especializada para realizar o trabalho de estocagem, o que garante que o serviço prestado seja de alta qualidade e eficiência. Cada etapa da armazenagem é observada de perto pela equipe para evitar danos, perdas e desperdício de material.

3. Armazenagem contratada

Esse é um dos modelos de estocagem intermediária para quem não dispõe de um espaço próprio para armazenagem. O sistema de armazenamento é uma mistura da própria com a terceirizada. Neste modelo, a empresa aluga o local para colocar seus produtos, mas utiliza os próprios funcionários para comandar todos os processos logísticos.

Dessa forma, a empresa fica responsável pela mão de obra, gestão dos processos e manutenção interna do armazém. A limpeza, segurança das áreas comuns e manutenções na estrutura, como ajustes no telhado, por exemplo, ficam sob a responsabilidade da empresa terceirizada contratada. 

Como determinar a estrutura de armazenagem adequada?

Alguns pontos essenciais devem ser considerados na hora de avaliar qual modelo de armazenagem funciona melhor para as necessidades da sua empresa. 

Por isso, analise bem as informações a seguir para tomar a melhor decisão. 

1. Avalie os custos

Coloque todos os gastos na ponta do lápis antes de escolher o tipo de armazenagem ideal para a sua empresa. Além disso, lembre-se de analisar a situação a médio e longo prazo.

Considere que a decisão envolve diversos custos, como:

  • contratação de mão de obra;
  • aluguel ou aquisição do espaço;
  • treinamentos para colaboradores;
  • aquisição de equipamentos de movimentação.

2. Considere o produto armazenado

Há alguns setores que precisam lidar com processos mais cuidadosos e complexos, como o correto armazenamento de alimentos perecíveis ou medicamentos. Os ambientes precisam ser adaptados e, na maioria das vezes, também necessitam de equipamentos e métodos de movimentação específicos para evitar danos ou prejuízos durante a execução das atividades. 

3. Avalie a amplitude do local

Também considere o espaço e volume que os produtos ocupam. Um negócio de grande porte necessita de locais maiores e mais amplos, o que também facilita a manutenção, limpeza e organização do espaço.

4. Considere a localização

A localização precisa ser estratégica, um local com acesso rápido e fácil às rodovias agiliza as entregas e a distribuição dos produtos. Utilizar estratégias que otimizam a logística do transporte é uma forma de aumentar a produtividade da empresa.

5. Avalie a sustentabilidade do seu negócio

Para quem deseja se tornar um empreendedor sustentável, considerar os impactos negativos do seu negócio no meio ambiente é essencial, incluindo a escolha de armazém.

Para isso, avalie qual o tipo de armazém deve poupar o maior uso de veículos para transporte, diminuindo a emissão de gases poluentes, e se a empresa terceirizada contratada oferece infraestrutura com iniciativas sustentáveis são dicas para iniciar.

6. Examine o layout e a organização do espaço

Opte por sistemas de armazenagem que facilitam a alocação dos materiais, bem como sua retirada. Entre os modelos mais comuns estão: porta-pallets, push back, flow rack, drive-in, drive-thru, dinâmica, carrossel, mezanino, entre outros. 

Continue a leitura para conferir os sistemas de armazenagem mais conhecidos.

Sistemas de armazenagem: quais são os mais conhecidos?

Os sistemas de armazenamento são responsáveis pela estocagem, proteção dos produtos, controle de entrada, saída, distribuição e demandas produtivas. Ou seja, desempenha um papel essencial na produção.

Push Back

No sistema push back, as mercadorias que entraram por último no armazém serão as primeiras a serem entregues, seguindo o método LIFO (last in, first out) — ou, em português, primeiro a entrar, primeiro a sair. 

Esse sistema é muito utilizado para produtos com prazo curto de validade e com muita rotatividade. O modelo para execução requer o uso de carrinhos ou roletes, variando o preço da operação. 

Com a chegada de novos itens no armazenamento, os mais antigos são empurrados para trás. Quando o último palete sai, os próximos são movidos para frente até que as cargas se movimentem. 

Sistema WMS

O sistema WMS (Warehouse Management System) — que, em português, significa sistema de gerenciamento de armazém — é um dos mais conhecidos tipos de armazenagem de estoques para gerenciar os insumos da armazenagem logística. 

Ele consiste em automatizar os processos da área de estoques por um software, que permite entender os níveis de reposição de cada estoque, as movimentações efetuadas e o tempo necessário. 

Para esse controle, os sistemas mais atualizados do mercado capturam dados através dos códigos de barras dos produtos, transmitidos por dispositivos móveis e redes sem fio. Tais informações são sincronizadas com uma base centralizada, facilitando o processamento em tempo real.

Porta pallets

É fundamental para o melhor aproveitamento do espaço que um armazém tenha sistemas de verticalização eficazes. Para isso, o sistema de porta pallets é de extrema importância. 

Esse sistema requer o uso de empilhadeiras, para que as estruturas superiores da armazenagem logística sejam acessadas. Os pallets podem ser alocados inteiros em estruturas de metal, possibilitando a separação das mercadorias em vários níveis diferentes.  

Flow rack

O flow rack é uma estrutura que facilita e agiliza a movimentação através do deslizamento, em que as prateleiras são disponibilizadas de maneira inclinada. É geralmente usado para gerenciar logística de itens leves, pequenos e fáceis de transportar.

Com esse tipo de sistema, o tempo requerido para carregar estoques é otimizado, além de facilitar a identificação da reposição dos itens.

Estantes carrossel

Para itens maiores e mais pesados, o recomendado são os sistemas de estantes carrossel, pois a estrutura pode deslizar horizontalmente até a posição em que acontecerá o carregamento. 

As estantes reduzem custos ao tornarem desnecessário o uso de máquinas em todos os processos, além de otimizar tempo. Esse é um dos tipos de armazenagem de estoques mais implementados nas indústrias.  

Estruturas cantilever

As estruturas cantilever são ideais para a armazenagem logística de grandes cargas, graças à sua estrutura e ótimo nível de resistência. O cantilever tem fácil montagem e desmontagem, pela ausência de soldas e pelo encaixe através de chavetas e treliças. É projetado para cargas com ampla longitude e pesos variados.

Mezaninos e prateleiras

O uso de mezaninos e racks com prateleiras é um dos tipos de armazenagem de estoques ideais para verticalizar o seu complexo, resultando em um maior aproveitamento do local. 

Para isso, há algumas possibilidades: instalação em corredores elevados, plataformas de seleção e expedição, e prateleiras em peças pequenas. Com isso, você pode gerenciar a logística com o máximo de eficiência e o mínimo de perdas.

Conheça a Capital Realty

A Capital Realty atua há mais de 24 anos no mercado de infraestrutura logística com alta capacidade técnica de desenvolvimento e gestão de propriedades. Hoje tornou-se uma das maiores referências no mercado de terceirização imobiliária de armazéns logísticos no sul do Brasil.

Os nossos condomínios oferecem infraestrutura completa para proporcionar eficiência e conforto com a elevada qualidade que a sua operação exige. Para conhecer os nossos condomínios logísticos entre em contato.

Entenda a relação da logística com a fidelização de clientes

Entenda a relação da logística com a fidelização de clientes

Se você está no mundo dos negócios, então uma das questões mais importantes é a fidelização de clientes. Afinal, em nada adianta atrair novos clientes se em uma próxima oportunidade eles optarem por comprar de outra empresa, não é verdade? Por isso, deve-se sempre ter em mente que o mercado é muito competitivo e se atualiza constantemente.

Nesse sentido, quais são as estratégias que a empresa deve colocar em prática para não ficar para trás? Como fazer para evitar que o seu cliente se vá após a primeira compra? Em primeiro lugar, é preciso entender qual a relação de logística com fidelização de clientes. Continue a leitura e descubra qual a importância da logística para esse processo e como colocar em prática!

Qual a importância da logística para os negócios?

No mundo dos negócios, a logística é um elemento que não pode ser ignorado em hipótese alguma. Afinal, como os processos de produção e entrega de produtos e serviços vão funcionar adequadamente sem um bom planejamento estratégico? Então, a prioridade de uma empresa deve sempre ser a satisfação do cliente. E não há como fidelizar sem oferecer uma boa experiência. 

E como oferecer essa experiência se você não tem infraestrutura para garantir que isso seja feito? É isso que a logística garante, gerando, consequentemente, a fidelização dos clientes. 

Como fidelizar clientes através da logística?

Depois que o cliente comprou o seu produto, é hora de fidelizar! Para isso, é necessário valorizar o cliente desde o início dessa relação, principalmente pelo fato de ele ter escolhido a sua empresa entre tantas outras opções. Por isso, deve-se entender quais as suas expectativas e como fazer para atendê-las. 

Considere investir em programas de fidelização, com descontos, bônus, oferta de serviços exclusivos, entre outras formas de fazer o cliente se sentir especial. Esta é uma estratégia eficiente neste processo. É aí que entra a logística, pois é nesta fase que você precisa planejar a oferta destes serviços.

Dicas para auxiliar o processo de fidelização de clientes

Durante o processo de fidelização do cliente é preciso conhecer algumas dicas essenciais que podem te auxiliar. Afinal, o processo de logística não pode ser feito de qualquer jeito, sem um bom planejamento estratégico, pensado com objetivos claros e que garantam um retorno eficiente. Confira abaixo!

1. Ofereça serviços de qualidade

Para garantir a satisfação do cliente, pensar estrategicamente é fundamental. Para isso, deve-se fazer o possível para melhorar a qualidade dos seus produtos e serviços constantemente. 

Além disso, não esqueça de considerar o que o público espera que a empresa ofereça. Para atingir este objetivo você precisa ter um relacionamento direto com os clientes, com canais de comunicação eficientes, além de organizar todas as etapas da logística, que incluem o armazenamento, a distribuição e o transporte dos produtos.

2. Relacione-se com os clientes 

Enquanto você desenvolve os processos de logística da sua empresa e também a qualidade dos seus produtos, o cliente vai ficando cada vez mais satisfeito. Com isso, ele se mantém fiel a sua marca, e recomenda a sua empresa para os amigos e familiares. Por isso, invista em um relacionamento próximo e saudável com os atuais clientes da marca para que o negócio possa se desenvolver de forma mais adequada. 

3. Mantenha-os informados

Um ponto muito importante é manter os clientes sempre informados sobre todas as fases que envolvem o processo de compra. Para isso, antes de fechar um contrato com uma transportadora, verifique as opções de código de rastreio, prazo de entrega e atendimento para possíveis dúvidas que possam surgir durante o trajeto. Nenhum cliente gosta de comprar e ficar no escuro, sem saber se o produto já foi enviado, em qual cidade está e quando chegará até a sua residência.

3 principais conceitos da logística

Para realizar o processo da forma adequada, além de seguir as dicas anteriores atente-se também aos seguintes conceitos: 

  1. Logística integrada: este conceito defende que todos os processos logísticos devem estar integrados através de um sistema que proporcione mais eficiência e maiores resultados.
  2. Logística reversa: a logística reversa envolve o retorno de produtos que precisam ser descartados ou reaproveitados. Assim, ela acontece quando o cliente decide devolver o produto por algum defeito de fabricação e para reciclagem, como no caso de pilhas e baterias, por exemplo.
  3. Logística 4.0: o nome é referência a Quarta Revolução Industrial, chamada de Indústria 4.0. A única diferença aqui é que na logística 4.0 é feito o uso mais direto de avanços tecnológicos. A ideia da logística guiada pela tecnologia é que ela propicie mais produtividade, redução de custos e uma base de informações que auxilie na tomada de decisões.

Enquanto empresário é preciso sempre buscar por melhorias para os seus produtos e serviços, visando garantir que seus clientes estejam sempre satisfeitos. Por isso, não negligencie o que deve ser feito para atingir estes objetivos. A logística é um fator essencial para garantir que os processos de produção, armazenamento e entrega de produtos ocorram da maneira mais eficiente possível.

Leia também: 7 dicas para aumentar a qualidade e produtividade na logística.