Contato Comercial
+ 55 41 2169-6868
Confira 5 benefícios de usar porta-paletes

Confira 5 benefícios de usar porta-paletes


O porta-paletes é um sistema favorável para empresas em busca de maneiras de otimizar o armazenamento. Com uma variedade de tipos, os porta-paletes são estruturas que oferecem flexibilidade, apresentando benefícios para toda a operação. 

Explorar as vantagens que o porta-paletes oferece é essencial antes de selecionar um sistema de armazenamento. Por isso, neste artigo, você pode ler mais sobre:


O que é o sistema porta-paletes?


O sistema porta-paletes é um sistema de armazenamento usado para organizar produtos em armazéns ou depósitos. Nele, são usados racks de armazenamento, semelhantes a prateleiras, que suportam os paletes.

A retirada de produtos nesse sistema é mais facilitada, pois é possível ter acesso a uma mercadoria sem movimentar outros itens próximos. No entanto, o acesso deve ser realizado com empilhadeiras, já que os racks tendem a atingir quatro metros de altura.



Quais são os tipos de porta-paletes?


Os porta-paletes são projetados para atingir a necessidade de cada empresa com o seu armazém. Por isso, há uma variedade de tipos de porta-paletes, que se adequam às necessidades de armazenamento do local. Entre os mais conhecidos estão:

  • convencional: é o tipo mais comum utilizado, sendo o de menor investimento. Feito para proporcionar acesso direto aos produtos, sem movimentação de outros paletes, permitindo a rápida entrada e saída de mercadorias;
  • dupla profundidade: armazenamento de dois paletes no mesmo nível, otimizando o espaço de armazenamento. Os paletes são armazenados em fileiras, uma atrás da outra;
  • drive-in: permite alta densidade de armazenamento. Para acessar os paletes ao fundo, é preciso retirar todos na frente, sendo que o uso do sistema de armazenamento LIFO (último a entrar, primeiro a sair) é o mais recomendado;
  • drive-through: o acesso a mercadorias pode ser realizado por ambos os lados do rack, oferecendo mais flexibilidade. No entanto, o drive-through oferece menos densidade de armazenamento que o drive-in;
  • corredor estreito: criação de corredores estreitos, maximizando o uso do espaço, que necessitam o uso de empilhadeiras específicas para este espaço, e racks altos. 

5 benefícios de usar um sistema de porta-paletes


O porta-paletes é uma solução que oferece benefícios significativos para o armazenamento de uma empresa. Investir neste tipo de sistema é uma maneira de obter uma operação mais eficiente. 

Entre as vantagens deste sistema são: 

  • maximização do espaço: a disposição dos racks otimiza o espaço vertical disponível no armazém para o armazenamento de mercadorias;
  • flexibilidade: o uso desse sistema pode ser aplicado de diversas maneiras, sendo altamente flexível. Assim, empresas podem pesquisar e selecionar qual tipo de porta-paletes oferece mais benefícios para a operação;
  • organização: os diferentes tipos de porta-paletes permitem que os produtos sejam organizados da melhor forma para cada empresa;
  • redução de custos: a maximização do uso do espaço vertical para o estoque de produtos, diminuindo a necessidade de espaços maiores para o armazenamento;
  • diminuição de danos de produtos: com o uso de equipamentos e armazenamento adequados, há menor probabilidade de danos aos produtos.

Entenda como aprimorar a logística da sua empresa


A busca por novas soluções e estratégias para implementar no seu negócio deve ser constante. Dessa forma, é que uma empresa consegue otimizar os processos, diminuir custos e melhorar a rotina dos seus colaboradores.

Os condomínios logísticos são espaços ideais para implementar um sistema como dos porta-paletes. Com infraestrutura de armazenagem e espaços projetados, os condomínios apresentam as melhores soluções para grandes empresas que desejam otimizar seus processos logísticos. 

Continue a leitura e conheça mais sobre o assunto no blog da Capital Realty.


FIFO: o que é e como funciona esse sistema de armazenamento

FIFO: o que é e como funciona esse sistema de armazenamento


Quando o assunto é organização e gestão de fluxo de estoque, muitos desafios surgem, principalmente na forma como armazenar as mercadorias. Por isso, entender o sistema FIFO, o que é e como utilizá-lo pode apresentar benefícios como maior agilidade nos processos logísticos.

A seguir, preparamos um guia com as principais informações sobre o que é FIFO e como esse sistema funciona. Neste artigo, você lerá sobre:


O que é FIFO?


O FIFO é um sistema de armazenagem que trabalha conforme a sequência da entrada das mercadorias ao estoque, sempre priorizando o despacho daqueles lotes que chegaram antes. 

Também conhecido em português como PEPS (primeiro que entra, primeiro que sai), o FIFO oferece um maior controle de armazenagem. Isso significa que os produtos mais antigos são utilizados primeiro, o que pode ser crucial nos setores em que a deterioração dos produtos é uma questão relevante.


Como funciona o FIFO?


O FIFO é um sistema que estipula a rotação de mercadorias, em que aquele que está mais tempo no estoque sempre sai primeiro, seja qual for o produto.

Além disso, esse sistema determina a ordem de saída dos lotes, ou seja, o primeiro que chega ao estoque, será sempre o primeiro a sair. Assim, nas filas constituídas por essa categoria de sistema, os produtos vão sendo comercializados por ondem de chegada, a começar pelos que estão a mais tempo no estoque.

Desta maneira é possível ter um controle de estoque mais eficaz, não deixando os produtos envelhecerem ou ultrapassarem a sua data de validade.



Quando adotar este sistema?


Esse sistema é utilizado principalmente por empresas que trabalham com o armazenamento de alimentos perecíveis, para que sejam evitados perdas dos produtos pela sua data de validade. O foco principal do uso do FIFO é evitar desperdícios de mercadorias por conta de uma má gestão da cadeia de suprimentos.


Quais os benefícios do FIFO?


Este sistema controla o volume de entrada e saída de produtos e mercadorias do estoque ou de um armazém. Esse é um processo que proporciona vantagens em custo-benefício para a empresa, bem como organização e melhoria a longo prazo.


Redução de custos, espaços e desperdícios


Ao utilizar esse sistema, é possível otimizar o armazenamento de produtos e mercadorias, e promover a redução de grandes espaços no armazém. Assim, os custos tendem a cair, o que é um grande atrativo para as empresas que buscam melhores resultados financeiros.

Além disso, o uso deste sistema facilita o manuseio de produtos perecíveis e evita a perda de mercadorias por expiração do prazo de validade, diminuindo desperdício e, consequentemente, custos.


Gestão visual


Normalmente, é fácil identificar um gargalo em um sistema FIFO. A gestão visual pode ser realizada através da rotulagem adequada dos itens, o uso de cores para diferenciar datas de entrada e saída, e a disposição física dos produtos de forma a refletir a ordem cronológica de entrada. 

Além disso, os próprios colaboradores da sua organização podem ser capazes de identificar alguma falha no sistema e podem corrigir antes que se torne um problema crítico.


Agilidade em processos logísticos


O sistema FIFO opera a partir do fluxo enxuto de materiais, evitando a superprodução e o preenchimento excessivo no sistema. Com isso, o espaço de armazenamento apresenta apenas os itens necessários para a continuidade da operação.

Dessa forma, ganha-se agilidade em processos logísticos, ficando mais fácil para a empresa reagir de forma rápida e eficiente em casos de variações em demandas de seus produtos e mercadorias.


Otimiza a precificação


Como os produtos não permanecem por tanto tempo no estoque, proporcionando um giro mais rápido de produtos armazenados, os desequilíbrios entre os preços de entrada e saída de produtos tendem a diminuir consideravelmente.Isso garante que o custo da mercadoria vendida e o custo do estoque remanescente sejam correspondentes.


Maior agilidade e eficiência


Com o fluxo enxuto de material, o sistema FIFO contribui para a redução de erros operacionais e traz mais rapidez ao processo. Assim, é possível agilizar os procedimentos de preparação do pedido e permitindo que ele chegue mais rápido ao consumidor.

Desta maneira a empresa consegue obter maior rapidez na operação. Pois, a técnica facilita a localização, a separação, a entrada e saída de materiais e produtos do estoque.


Outras categorias de sistema de armazenagem


Além do FIFO, ainda existem outras categorias de sistemas de armazenagem, como o LIFO (Last in, First Out), o FEFO (First Expired, First Out), entenda agora o que são.


LIFO (Last in First Out)


A sigla LIFO significa “Last in, First Out”, ou seja, “Último a entrar, primeiro a sair”. Esse sistema trabalha de maneira contrária ao FIFO, isto é, o último produto a entrar no armazém deve ser o primeiro a sair.

Esse sistema é indicado para empresas que trabalham com estoques que não oferecem risco de perda por validade ou por obsolescência, por exemplo. A lógica desse sistema permite que um aumento no valor da compra das mercadorias junto ao fornecedor seja rapidamente repassada ao consumidor, evitando prejuízo para a empresa.


FEFO (First Expired First Out)


Esse sistema está diretamente ligado à validade do produto. A sigla FEFO quer dizer “First Expire, First Out”, isto é, “primeiro a vencer, primeiro a sair”. Nesse sistema, a empresa deve ter o controle da validade dos itens e retirá-los do estoque assim que se aproximam da data de validade.

Ele é amplamente utilizado no setor alimentício, no qual a avaliação da qualidade do produto está diretamente relacionada ao prazo de validade.


Condomínio logístico: o que é e como ajuda na sua expansão logística


Para que o FIFO seja aplicado de forma eficiente em uma operação, é necessário que outros aspectos, como logística, organização e espaço físico estejam preparados para atender as necessidades da empresa.

Para grandes operações, os condomínios logísticos são um recurso que ofertam infraestrutura e serviços para comportar o armazenamento de empresas. No site da Capital Realty, você pode conferir mais informações sobre como esse modelo de estrutura pode oferecer as melhores soluções em armazenagem para a sua empresa.


Galpão modular: quais as vantagens para sua empresa?

Galpão modular: quais as vantagens para sua empresa?


Abrigar toda a operação em um galpão modular é uma solução que proporciona flexibilidade para que empresas consigam oferecer os melhores serviços para seus clientes. 

Essa solução é o melhor caminho para evitar possíveis erros de processo, já que um galpão modular pode abrigar as principais funções de logística, armazenamento ou execução aconteçam de forma integrada, de forma mais sustentável e ágil. 

Neste artigo, você entenderá mais sobre:

O que é galpão modular?


O galpão modular é uma estrutura construída a partir de módulos pré-fabricados. Essa estrutura pode ser usada como espaço de trabalho, como centros de distribuição de produtos de empresas. Os galpões permitem mais facilidade na reestruturação dos ambientes internos, caso seja preciso realizar mudanças na operação da empresa.


 

A praticidade dos galpões permite que as empresas possam personalizar o espaço de acordo com as suas necessidades. Em um curto período de tempo, a empresa pode realizar mudanças, obtendo flexibilidade para a criação de diversos ambientes. 

Qual é a função do galpão modular?


Galpões modulares são usados, em geral, como espaços de armazenamento de alimentos perecíveis, automóveis, equipamentos e outros produtos, além do gerenciamento de distribuição de mercadorias. 

Uma das principais características do galpão modular é a sua versatilidade. Essas estruturas funcionam como o espaço de trabalho ideal, especialmente para os setores de varejo e comércio. Com isso, a configuração do espaço de armazenamento e distribuição pode ser feita conforme as necessidades da empresa. 


Quais são as vantagens do galpão modular?


Os galpões modulares são necessários para que qualquer operação que precise de um espaço coberto consiga desempenhar suas funções de maneira eficiente. Para isso, galpões modulares tornam-se as melhores opções, já que apresentam vantagens como:

  • agilidade: galpões modulares são, em geral, mais práticos para serem montados, já que as estruturas são pré-montadas; 
  • versatilidade: galpões modulares podem ser usados como espaço para trabalho, centros de distribuição, entre outras funções;
  • flexibilidade: galpões modulares oferecem flexibilidade para a expansão da operação em qualquer momento;
  • durabilidade: o design da estrutura dos galpões garantem a maior resistência da estrutura. Além disso, uma equipe especializada acompanha o estado da infraestrutura para evitar qualquer problema com o espaço; 
  • redução de custos: são estruturas mais econômicas que galpões permanentes;
  • sustentabilidade: os processos de construção de galpões modulares são considerados mais sustentáveis por evitar o uso de materiais como tijolos e cimento, utilizando estruturas pré-montadas.

Encontre as melhores soluções de galpões modulares


Obter um galpão modular é a melhor opção para garantir a eficiência da sua operação. Seja para otimizar o armazenamento de mercadorias, garantir mais flexibilidade ou buscar opções mais sustentáveis de relacionar a sua empresa, essa pode ser a melhor opção para otimizar a sua empresa. 

Você sabia que a Capital Realty está presente há 24 anos no mercado de infraestrutura logística, com empreendimentos modulares, construídos de forma inteligente.

Acesse o site e confira quais são as soluções oferecidas para a sua empresa.


Guia para gestão da cadeia de suprimentos: entenda como funciona

Guia para gestão da cadeia de suprimentos: entenda como funciona

A boa gestão da cadeia de suprimentos é um dos principais diferenciais que os operadores logísticos podem conseguir para os seus negócios. Quanto mais otimizado for o fluxo, menores serão os problemas e maior será a percepção de qualidade da sua operação por parte do consumidor final.

Mais do que um diferencial competitivo, capaz de valorizar produtos e serviços, a gestão da cadeia de suprimentos requer atenção constante. Se por um lado não há como alcançar a perfeição, por outro é possível buscar a melhoria contínua com diversos tipos de ações.

Entenda como funciona a gestão da cadeia de suprimentos e como otimizar a sua. A seguir, você lerá sobre:

O que é cadeia de suprimentos?

Chamada de supply chain — em inglês —, a cadeia de suprimentos é o processo que envolve desde a obtenção de matéria-prima, a produção, armazenagem, transporte até a entrega do produto ao cliente.

O objetivo desse processo é reduzir custos e tempo de execução, além de proporcionar mais benefícios para o consumidor final. Porém, não há um padrão para a definição de uma cadeia de suprimentos. Cada negócio deve avaliar quais são os processos que devem ser cumpridos para que o negócio funcione da melhor maneira. 

Os principais participantes da cadeia de suprimentos são:

  • indústrias;
  • operadores logísticos;
  • atacadistas;
  • varejistas;
  • consumidores.

A organização e montagem de uma cadeia de suprimentos é fundamental para garantir o sucesso de qualquer operação. Apenas com a gestão da cadeia operacional será possível que o produto ou serviço seja disponibilizado da melhor maneira para atender seus clientes de forma satisfatória.

O que é gestão da cadeia de suprimentos?

A gestão da cadeia de suprimentos — ou supply chain management, termo em inglês, é a capacidade de gestão operacional de todos os fluxos de bens, serviços e informações de maneira estratégica. 

Para que a relação entre todas as empresas que fazem parte da cadeia seja a mais harmônica possível, é preciso que todos esses sistemas sejam integrados. 

Qual o objetivo da gestão da cadeia de suprimentos?

Com a gestão eficiente da cadeia de suprimentos, é possível garantir que as operações ocorram como uma espécie de fluxo contínuo. Qualquer falha em um ponto da cadeia de suprimentos pode provocar um efeito em cascata, causando problemas e prejuízos em todas as etapas.

É por essa razão que os conceitos de logística e cadeia de suprimentos não são dissociáveis. Os métodos operacionais, sistemas, softwares e a gestão dos processos devem ser analisados como um todo, fazendo com que cada operador seja responsável pela sua etapa.

Portanto, a visão macro deve ser do conhecimento de todos, ainda que as responsabilidades de cada profissional tenha suas limitações. A gestão eficiente de uma cadeia de suprimentos deve garantir aspectos do negócio como:

  • satisfação do cliente;
  • redução de custos;
  • otimização de tempo dos processos;
  • melhoria na atuação de cada colaborador;
  • maior competitividade no mercado;
  • aumento da produtividade.

Quais são as etapas da cadeia de suprimentos? 

Existem diversas etapas na cadeia de suprimentos, criadas para organizar e otimizar os processos de pequenas, médias e grandes empresas. Nesse sentido, podemos incluir algumas etapas, como:

  • planejamento: elaboração de demandas, organização financeira, criação do portfólio de produtos, pesquisas de mercado e definição de metas;
  • aquisição de matéria-prima: escolha e compra de materiais utilizados, negociação de prazos de entrega com fornecedores;
  • produção: fabricação dos produtos, controle de qualidade e gerenciamento de capacidade;
  • armazenagem: escolha dentre os tipos de armazenamento e gestão de estoque;
  • distribuição: processamento de pedidos, envio e entrega de produtos, canais de venda, execução de cronogramas de entrega e gerenciamento de produtos em trânsito;
  • devolução: gerenciamento de recebimentos de produtos retornados, organização do envio de novos produtos, reparo e descartes, gerenciamento de devoluções;
  • atendimento ao cliente: contato com o cliente, rastreamento de pedidos e resolução de problemas.

Como fazer uma boa gestão da cadeia de suprimentos?

A otimização da cadeia de suprimentos passa por uma série de fatores. Nem sempre a melhoria de apenas um deles é suficiente para impactar de maneira definitiva nos processos. 

É preciso encontrar os gargalos operacionais e manter todas as etapas em sincronia. A melhoria deve ser contínua e, para que isso ocorra, atente-se a algumas dessas sugestões.

Realize o mapeamento da cadeia de suprimentos

Qualquer ponto fraco ou possibilidades de melhoria da sua operação devem aparecer quando um mapeamento da cadeia de suprimentos é realizado. O mapeamento auxilia na criação de planos de ação e permite que as mudanças sejam feitas com base em pesquisas e estudos sobre a sua empresa.

O mapeamento permite identificar como funciona o relacionamento da sua empresa com fornecedores, produtores, distribuidores e outros participantes envolvidos na cadeia. Além disso, os fluxos de produtos e serviços também são analisados para gerar mais conhecimento sobre possíveis problemas na produção.

Como fazer um mapeamento da cadeia de suprimentos

Para realizar o mapeamento da cadeia de suprimentos, a empresa pode realizar as seguintes etapas:

  • identificação dos participantes: listar todas as empresas e gestores  participantes da cadeia;
  • análise de fluxos de produção: entender qual a movimentação dos produtos no fluxo de produção para identificar possíveis otimizações de processo;
  • análise de informações: avaliar fluxos de pedidos, atendimento ao cliente, transporte de produtos, entre outros;
  • definição de parâmetros de serviço: definir metas de qualidade para todos os setores, seja de tempo de entrega, quantidade ou outros indicadores;
  • observação de pontos de logística: entender quais são as localizações de armazéns e observar se os condomínios logísticos estão sendo utilizados da melhor forma para otimizar as entregas.

Seleção eficiente de fornecedores

Nem todos os fornecedores têm as mesmas condições técnicas de estabelecer prazos ou índices mínimos de qualidade na entrega dos produtos. É uma tarefa do gestor da cadeia de suprimentos identificar soluções e empresas que podem oferecer melhores condições para a cadeia de produção.

Ao selecionar empresas que oferecem as melhores soluções para a sua cadeia, é possível solucionar pontos de atrito entre as etapas e resolver problemas que podem prejudicar a satisfação do cliente final.

Equilíbrio entre oferta e demanda

A sazonalidade é uma constante na comercialização de diversos tipos de produtos. Essas informações devem sempre estar disponíveis no planejamento, de maneira que possa haver equilíbrio entre a oferta por parte dos fabricantes e a demanda por parte dos consumidores. 

Qualquer desequilíbrio aqui pode significar escassez ou sobra, o que impacta em custos mais altos de armazenamento.

Otimização de armazenamento

Parte essencial da gestão da cadeia de suprimentos é a observância dos aspectos de armazenamento. Depósitos enormes ou com maior capacidade, porém afastados dos grandes centros, não são mais um diferencial competitivo como já foram no passado. 

Ambientes mais modernos, mais bem localizados e com espaço para crossdocking, uma estratégia de supply chain, como os disponíveis em condomínios logísticos, se mostram mais adequados para o atendimento de uma demanda crescente por agilidade e redução de custos.

Tenha as melhores soluções de armazenagem 

A sua empresa investe em melhoria contínua na gestão da cadeia de suprimentos? O armazenamento e gestão de estoque de qualidade de produtos é uma etapa da cadeia de suprimentos fundamental para garantir a satisfação do cliente final. Você sabia que a escolha de condomínios logísticos pode representar um ganho de qualidade significativo no atendimento e na velocidade de entrega, aumentando a percepção de valor do cliente sobre o seu serviço? 

Consulte nossa equipe de especialistas e saiba como a Capital Realty pode ajudar nesse quesito.

O que é push back e quais as vantagens de utilizar esse sistema?

O que é push back e quais as vantagens de utilizar esse sistema?

 

O sistema push back é uma solução altamente eficiente e econômica para a movimentação e armazenamento de produtos em operações logísticas. Se você deseja aprimorar a produtividade e eficiência da sua operação, considerar o uso do sistema push back é uma ótima ideia. Porém, para tomar uma decisão informada, é fundamental entender como esse sistema funciona e quais são suas vantagens.

Neste artigo, você terá a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, conhecer seus pontos fortes e avaliar se é a opção ideal para sua operação logística.

O que é push back?

O sistema push back é uma estratégia de armazenamento de mercadorias baseada na metodologia LIFO (last in, first out), em que as últimas mercadorias armazenadas serão as primeiras a sair.

Essa técnica é especialmente indicada para estoques compostos por produtos com prazo curto de validade e alta rotatividade, como armazenamento de alimentos perecíveis e medicamentos, por exemplo. 

Neste sistema, os produtos mais recentes empurram os mais antigos no armazenamento, criando uma hierarquia de saída que garante o acesso mais rápido a itens que entraram por último. Com isso, é possível otimizar a operação logística e reduzir os riscos de perda de produtos devido à expiração do prazo de validade.

Em termos de execução, há dois modelos: a operação de push back com carrinhos e a com roletes. Ambas proporcionam os mesmos resultados, a diferença reside apenas no sistema que impulsiona e movimenta os paletes. A escolha da melhor opção pode ser feita em função do custo operacional de cada uma delas.

Como funciona push back na armazenagem logística? 

Em muitos casos, o sistema push back pode ser a melhor escolha para aumentar a eficiência e aprimorar o uso de recursos. Contudo, não há um sistema de armazenamento universalmente superior a outros, uma vez que a escolha dependerá dos objetivos, tipos de carga e circunstâncias de entrada e saída.

Por isso, conhecer diversas opções amplia as possibilidades de escolha em cada situação.

Por que investir em estruturas de armazenagem push-back?

Investir em estruturas de armazenagem push-back pode trazer diversas vantagens para a gestão de estoque da sua empresa. Isso porque o processo de saída e reposição dos produtos se torna mais eficiente e rápido, garantindo um fluxo mais dinâmico e sem interrupções desnecessárias. 

Além disso, o sistema push-back permite o armazenamento de maior quantidade de produtos em um espaço menor, o que pode gerar uma economia de espaço e redução de custos com aluguel de armazém. Entre as principais as vantagens, estão:

1. Otimização de espaço

A otimização de espaço é uma das principais vantagens do sistema push back porque o mecanismo operacional possibilita explorar tanto a altura quanto a profundidade do ambiente. O método elimina os corredores entre as estantes, deixando mais espaço de manobra para as empilhadeiras.

2. Agilidade nos processos

Um dos gargalos encontrados no manuseio de mercadorias é a retirada delas de um depósito. Quando elas estão mais próximas da saída, esse processo ocorre com maior rapidez. Além disso, há a questão da automação, pois uma vez que o último palete sai, o seguinte já se posiciona para descarga, fazendo com que suas equipes ganhem tempo.

3. Versatilidade para todos os tipos de carga

Desde que os itens atendem aos pré-requisitos de alta rotatividade e prazo de validade reduzido, então o push back é uma metodologia que deve ser considerada pelo gestor. A sua aplicação é flexível, podendo ser empregada em produtos dos mais diversos segmentos. Estudar esse sistema pode representar um diferencial significativo para o seu negócio em termos de eficiência.

4. Mais possibilidades de classificação de produtos

Por fim, uma das características do sistema push back é o fato de que cada nível de armazenagem funciona de forma independente. Na prática, isso resulta em mais possibilidades de classificação de itens, inclusive por meio de aspectos visuais, como a utilização de carrinhos de cores distintas.

Por que o sistema push back é uma escolha inteligente para sua operação logística?

O sistema push back é uma escolha inteligente para operações logísticas devido à sua capacidade de economizar espaço de armazenamento, permitir fácil acesso a vários pallets e reduzir o risco de danos aos produtos e equipamentos de armazenamento. Além disso, o sistema é altamente flexível, pode melhorar a segurança do armazém e é relativamente fácil de instalar e integrar a outros sistemas de armazenamento.

Agora que você conheceu como funciona o sistema push back e suas vantagens para produtos de alta rotatividade, avalie se esse é um formato de armazenamento a ser aplicado na sua logística. Fique ligado em mais dicas de armazenagem e logística nas nossas próximas postagens. E, caso esteja procurando um espaço para armazenagem entre em contato com a equipe da Capital Realty.

Condomínios logísticos | Como a localização da sua operação gera competitividade

Condomínios logísticos | Como a localização da sua operação gera competitividade

A localização é um dos pontos fundamentais em qualquer operação logística. É um quesito importante, que define uma série de fatores que podem impactar na redução de custos, na otimização do tempo, na agilidade de entrega e em outros aspectos cruciais para qualquer empresa do setor. Gigantes que lidam com o transporte internacional de cargas e têm um galpão logístico em um setor estratégico sabem que essa localização reduz custos e traz agilidade no transporte. Por isso, pensar a localização de forma estratégica é cada vez mais essencial na distribuição de produtos, para firmar parcerias e atender o cliente com eficiência e qualidade.

Benefícios da localização estratégica

Diminui o risco de atraso e evita gastos desnecessários


Estar bem localizado também significa a possibilidade de trafegar por estradas com mais qualidade e é um diferencial que gera competitividade. Essa precaução evita gastos desnecessários com manutenção dos veículos de transporte e diminui, consideravelmente, o risco de atraso nas entregas de produtos.

Prioridade e qualidade na entrega


Se considerarmos que a natureza do produto que a empresa trabalha é perecível, então, todas as características de localização são importantes para diminuir as chances de perda. Além de produtos perecíveis, outros podem ter a entrega comprometida quando é necessário trafegar por longos trechos em uma malha rodoviária muito distante ou e em péssimo estado de conservação;

Otimização de tempo


Todo empresário sabe ue tempo é dinheiro. Se as distâncias são encurtadas, muitos problemas relacionados à distribuição também são evitados e os custos são reduzidos. O empreendedor consegue deslocamento mais rápido quando a sua operação é realizada e ocorre de forma estratégica;

Ao fazer bom uso das informações geográficas para facilitar a logística, o empreendedor ainda reduz custos com combustíveis e com estratégias de monitoramento, tanto de cargas, quanto de horas trabalhadas. Isso porque os colaboradores podem cumprir o trabalho dentro de prazos estabelecidos com muito mais segurança e precisão.

Condomínio logístico como indicativo de inteligência geográfica

Já demonstramos que as operações logísticas precisam levar em conta a questão geográfica para facilitar o planejamento de rotas e operar com qualidade e eficiência. Os condomínios logísticos são projetados para otimizar essas questões. Eles permitem que centros de distribuição estejam, estrategicamente, localizados perto de portos, aeroportos, ferrovias e ou vias que podem encurtar distâncias e facilitar os acessos para outras regiões do país. Essa dinâmica acaba sendo uma das grandes vantagens desse modelo empresarial e até mesmo um dos fatores decisivos na escolha de um condomínio logístico. Vale ressaltar que, além de reduzir custos logísticos por conta de uma localização estratégica, eles ainda oferecem uma série de benefícios. Nesse conteúdo, mostramos que ter um ponto de distribuição em um condomínio logístico pode significar redução de custos e a possibilidade de firmar parcerias e fechar novos negócios. Você também está convidado a continuar navegando em nosso blog para descobrir quais são os demais benefícios que os condomínios logísticos podem oferecer ao seu modelo de negócio.